Iniciando a aventura: A Amazônia




As barrentas águas do Rio Madeira, o maior afluente da margem direita do Amazonas, não serão utilizadas como o "caminho" por onde terá início essa aventura. Mas poderiam ser, caso Tivesse escolhido chegar em Manaus por essa via.  Seriam três a quatro dias em um "Recreio", um barco que faz o papel de ônibus, já que as estradas daqui são os rios.
A minha opção é outra, partindo de Humaitá sigo até Porto Velho, inicialmente em uma estrada asfaltada (BR 319). Mas para adentrar a capital de Rondônia, será preciso cruzar de balsa o Rio Madeira. 


Em Porto Velho fico um dia e aproveito para conhecer um pouco da cidade. No dia seguinte, embarco em um avião com destino a Rio Branco, a capital do Acre. Aproveito para conhecer um pouco mais de uma parte da História do Brasil, a época em que levas de imigrantes chegam a região Norte por conta do Ciclo da Borracha
Porto Velho

Rio Branco

Um dia e meio em Rio Branco e continuo a aventura, dessa vez sigo para a pequena Xapuri, onde vou vivenciando um pouco mais da História. Dessa vez os acontecimentos foram mais recentes, a luta dos seringueiros pela preservação de suas matas e foi assim, entre as seringueiras, que ouvi pela boca de um deles como era a vida no seringal e como Chico Mendes  se tornou um ícone no Brasil.
Seringal Cachoeira

O Acre faz fronteira com a Bolívia e o Peru. Segui para esse último país, saindo do Brasil pela fronteira em Assis Brasil.

A seguir: O Peru, a terra dos Incas

Comentários