Maranhão


Único estado do Nordeste brasileiro com território coberto pela Floresta Amazônica (100.000 km²). Porém a sua maior parte é formada pelo cerrado e por florestas de transição. Seu vasto e sinuoso litoral  de 640 km apresenta baías, furos e igarapés, foz de rios, dunas e manguezais. No seu interior a paisagem é outra, chapadões areníticos compõem uma paisagem deslumbrante e surreal. Nessa região de contrastes o domínio português demorou a se consolidar. Primeiro os espanhóis, depois os franceses, que chegaram a se instalar na França Equinocial. Expulsos, foi a vez de Portugal criar a capitania do Maranhão e Grão-Pará, o que não impediu a invasão dos holandeses.


Assumindo definitivamente o controle, com a expulsão dos holandeses em 1644, cem anos após se desliga do Pará e se expande graças à produção do açúcar, arroz e algodão. Durante o ciclo do algodão, houve o enriquecimento do estado, porém, com a abolição da escravatura, entrou em declínio. Resquícios desse passado grandioso pode ser observado na capital, São Luís, com o conjunto arquitetônico do Centro Histórico, consagrado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1997.
Na região dos Lençóis Maranhenses o patrimônio é outro: dunas branquíssimas abraçam lagoas azuis, compondo o Parque Nacional.
Mas não apenas o litoral do Maranhão desperta interesse por suas belezas naturais. Ao sul do estado, foi criado em 2005 o Parque Nacional da Chapada das Mesas,  com o objetivo de proteger o bioma do cerrado e cabeceira de rios da região. No entanto, a unidade de conservação ainda não dispõe de plano de manejo, nem qualquer tipo de infraestrutura nos seus 160 mil hectares.



Comentários