Otavalo

Quando se viaja pela região andina, uma das maiores atrações são os mercados artesanais, onde se terá um contato mais próximo com a população nativa e o seu cotidiano. Esses mercados existem há muitos anos, pois era uma atividade necessária para a trocas de produtos nem sempre disponíveis em todas as regiões.Atualmente, raramente, é exclusivamente nativo. A aculturação ocorrida com a chegada dos espanhóis, o turismo como fonte de renda e a globalização se encarregaram de diminuir um pouco essa característica genuína.



Otavalo é uma pequena cidade 100 km ao norte de Quito, com 2.550 m.s.n.m. está situada entre dois vulcões, o Imbabura e o Cotocachi. É famosa por seu mercado artesanal indígena, considerado um dos maiores da América do Sul. Ocorre diariamente, porém é maior aos sábados. São artesanatos de lã, couro, prata até o conhecido chapéu Panamá, que ao contrário do que o nome indica, ele é produzido no Equador.


Os povoados indígenas ao redor de Otavalo ficaram famosos pela resistência aos incas e à escravidão imposta pelos espanhóis. Conta-se que os tecelões eram obrigados a trabalhar horas a fio, adquirindo grande eficiência e qualidade na tecelagem, herdada por seus descendentes que, aliada a um apurado tino comercial vendem seus produtos por todo o país e exterior.


É na Plaza dos Ponchos onde se localiza o mercado, porém aos sábados se espalha por várias ruas. Na praça principal, conhecida como Parque Bolivar, está a Iglesia San Luis, toda em tijolos e com torre única e a Municipalidad( prefeitura). No centro da praça há um monumento em homenagem aos índios Rumiñawi.

É comum você encontrar as mulheres vendedoras com roupas típicas: blusa branca com bordado,  às vezes com uma manta colocada transversalmente no peito, colares de contas com várias voltas no pescoço e saia preta. Os homens utilizam o cabelo comprido e preso, muitas vezes numa trança.

Como fui
Tour compartilhado adquirido na Ecuador Trips Access.  
Duração: dia inteiro
Quanto:US 60
Cerca de 15 km de Quito, estávamos em Calderon, onde visitamos uma loja tradicional na confecção de figuras de marzipan. São produtos bem conhecidos e tradicionais que se caracterizam pelos desenhos de diversos formatos e cores, além de serem elaborados com materiais da natureza, que não atentam contra a saúde nem o meio ambiente.


De lá, utilizando um trecho da Rodovia Panamericana, com um belo cenário recheado de curvas e montanhas, nos dirigimos para o norte do país. Já na província de Imbabura, paramos ao lado do Lago San Pablo, onde tivemos uma demonstração sobre a produção do famoso chapéu Panamá, que tem esse nome porque durante a construção do Canal do Panamá muitos equatorianos por lá trabalharam utilizando esse tipo de chapéu, passando a ser muito comum o seu uso.
O chapéu é confeccionado com uma palha de palmeira que há nessa região e dependendo do trançado e da qualidade da fibra, tem chapéus de preços variados.
Após sairmos de Otavalo, fizemos uma rápida visita a Cotacachi, um vilarejo conhecido por seu trabalho em couro, antes de retornarmos para Quito.


Sites úteis

Comentários