Kabah - A apoteose do deus chac


Cerca de 100 km de Uxmal está  o primeiro dos quatros sítios maias que fazem parte da Rota Puuc. Kabah, no México, mostra vários e interessantes aspectos arquitetônicos do estilo Puuc, conhecido com este nome por ter sido a expressão artística utilizada em sítios maias localizados na região das colinas Puuc, ao sul de Mérida, em Yucatán. Por conta da falta de água nessa região, o deus Chac era reverenciado e, consequentemente, muito representado nas construções.



Além de Kabah, Sayil, Xlapak e Labná partilharam esse estilo arquitetônico e se acredita que viveram seu apogeu entre 600 e 900 d. C. As características principais são construções cujas fachadas planas têm a parte inferior lisa, enquanto a superior é ricamente decorada com mosaicos de pedra que podem alternar desenhos geométricos com figuras esculpidas bem elaboradas, como máscaras de deuses.


Em Kabah o edifício principal é o Codz Pop também conhecido como Palácio das Carrancas, que tem a fachada decorada com máscaras de pedra que representam o deus Chac, a divindade tutelar da chuva e da fertilidade. São cerca de 260 máscaras idênticas e caracterizadas pelo típico nariz proeminente e enrolado. Grande parte já está sem o nariz.


Uma das estruturas tem na fachada figuras masculinas esculpidas .


Na área escavada há um outro edifício - El Palacio - com dois andares, o inferior subdividido em celas com portas. Uma lance de escadas conduz ao andar superior com aberturas, algumas separadas por colunas, um elemento que, em pequeno tamanho, também decora a parte superior da fachada, rematado por uma cimeira.

 

Há ainda outras construções com colunas e estruturas com desenhos esculpidos representando um guerreiro em luta, plataformas e escadarias.



Do outro lado do sítio, atravessando a estrada, encontra-se o Arco de Kabah, um arco monumental que se ergue ao final do caminho que une Uxmal e Kabah.

                   ***

Sites úteis
Arqueologia Mexicana

Comentários

olhodopombo disse…
que coisa maravilhosa!
Anônimo disse…
O México e a Guatemala são surpreendentes, especialmente para quem gosta de história, arqueologia e arte.