Copã, a Cidade das Estelas


Ao longo da fronteira que hoje separa a Guatemala de Honduras, no atual território hondurenho, desenvolveu-se uma importante cidade maia rica em estelas e altares erguidos para exaltar as façanhas e guerras de alguns governantes. Em 1980 Copã foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.




A cidade, edificada numa região de colinas a 600 metros de altitude, às margens do rio Copã, teve seu período áureo sob o ponto de vista cultural e econômico entre os séculos 5 e 9 d.C.  Hoje, em uma área de 32,5 km² se encontra a zona arqueológica que inclui vários sítios, entre eles o mais conhecido, o Parque Arqueológico de Copã.


A 12 km da fronteira com a Guatemala está Copã Ruínas, a pequena cidade  que surgiu concomitante às escavações arqueológicas do sítio maia.  Ali cheguei cerca de 6 horas após ter deixado a Cidade da Guatemala em um ônibus da empresa Hedman Alas. Teria apenas o resto da tarde e a manhã seguinte para conhecer as atrações locais de interesse e para mim se resumia ao Parque Arqueológico de Copã. Deixaria a cidade, com destino a Tegucigalpa, capital hondurenha no início da tarde do dia seguinte. Porém a empresa de ônibus antecipou a viagem para o final da manhã, o que me reduziu consideravelmente o tempo que teria para a visita às ruínas. Então, logo cedo da manhã saí do hotel em um "tuk tuk" e 10 minutos depois já me encontrava na portaria do parque, aguardando o horário de abrir.


Como só dispunha de 2 horas para visitar, após comprar o bilhete de entrada, contratei um guia para percorrer as principais atrações que foram: O Grupo Principal, constituído pelo núcleo da antiga cidade, cujos componentes mais importantes são a Gran Plaza, La Escalinata Jeroglifica, el Juego de Pelota, la Acrópolis e  el Altar Q. Ainda foi possível uma rápida visita ao Museo de la Escultura.
Los Túneles e Las Sepulturas ficaram para uma próxima oportunidade.

Maquete no Centro de Visitantes

Por onde fiz a visita

  • La Gran Plaza(A Grande Praça) ou Plaza de los Monumentos
É um espaço de aproximadamente 75 m², destinado a eventos sociais e cerimoniais públicos. Mas também se utilizava para observações astronômicas, isto se deduz por conta da localização de seus monumentos em relação ao nascer e por do sol. Nela se distribui várias estelas e "altares"(não se sabe exatamente a função) monumentais, decorados com baixo-relevos e acompanhados de longas inscrições que permitiram, após ser decifrada a escrita maia, reconstituir boa parte da história de Copã. Sabe-se que a maioria deles foram erigidos durante o reinado de "18 Conejo" o 13º governante.


O guia explicando o que estava escrito na Estela

Segundo o guia, este era um altar onde se praticavam sacrifícios. Ali, cabeças rolaram!



  • La Escalinata
Acredita-se que esta escadaria, hoje em dia quase totalmente reconstruída, narra a história dinástica de alguns governantes de Copã. Com uma altura de 12 metros e 9 metros de largura, é o maior e mais extenso texto hieroglifo da cultura maia.


Foi construída no governo de "Humo Caracol" o 15º governante. Possui 63 degraus monolíticos, recobertos por cerca de 2.500 glifos esculpidos, que contém a lista dinásticas dos senhores de Copã e dados históricos compreendidos entre 545 e 745 d.C., quase todos decifrados. Está localizada num dos lados do Templo-pirâmide 26 e em sua base estão a Estela M e seu altar correspondente.


  • E Juego de Pelota
Considerado o centro social da cidade, possui estruturas perfeitamente simétricas. Considerado um dos campos de pelotas mais bonitos e elegantes da Mesoamérica no período Clássico. Localizado entre a Escadaria dos Hieroglifos e a Grande Praça. Tem como marcadores cabeças de araras.



  • La Acrópolis
A uns 30 metros de altura, sobre um terraço artificial que a separa das terras baixas do rio, encontra-se a Acrópoles de Copã. Considerada o lugar sagrado, centro administrativo e religioso, um espaço reservado à elite. Está formada por duas praças: Ocidental e Oriental. Na Praça Ocidental se encontra o Templo 11 e o Templo 16, construído no período do último governante, Yax-Pasaj, com o Altar Q na base. Sob esse último está o Templo Rosalila, que foi completamente enterrado sob a estrutura piramidal em perfeito estado.



Praça Ocidental

Praça Oriental

Ao fundo,  a Escadaria dos Jaguares.

Em Copã, a escultura era frequentemente associada à arquitetura. Como exemplo esse detalhes escultóricos como elemento decorativo da Escadaria dos Jaguares.



Templo 11

Detalhe esculpido no Templo

Nessa área também se encontra a tumba de Yax Pasaj.

Em Copã como em outras cidades maias se deu o abandono gradativo pela população. A floresta tomou conta das construções, destruindo o que pode. O rio Copã também fez a sua parte avançando sobre os edifícios, até que ao ser redescoberta por pesquisadores no século 19, começasse um trabalho exaustivo de limpeza da mata sobre as ruínas, escavações e mudança artificial do leito do rio, para que tenhamos a área que hoje pode ser visitada. No entanto muito ainda há por fazer e novas descobertas podem vir a revelar outros segredos escondidos por centenas de anos naquela região.

Serviço
Quanto: Parque Arqueológico: 320 lempiras(US 15)
               Museu da Escultura:   150 lempiras(US 7,00)
               Guia privado:              880 lempiras(US 44,00)
               Tuk tuk (ida e volta):    40 lempiras(US  2,00)


Copã pode ter sido assim


Comentários