Cuidados com a Saúde no Altiplano Andino



Ao viajar para regiões do Peru e Chile, como também para o altiplano Boliviano, é bom saber sobre alguns dados relacionadas à saúde.










  • Vacinação contra a Febre Amarela

É obrigatória a vacinação contra a Febre Amarela. Deve ser tomada até 10 dias antes de embarcar para o Peru e Bolívia. A comprovação é feita pelo Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), emitido nos postos da Anvisa em portos, aeroportos e fronteiras a partir da apresentação do seu comprovante de vacinação. A validade da vacinação é de  10 anos, portanto fique atento ao tempo em que tem de vacinado contra essa doença, pois pode ser que já seja necessário repetir a dose.


O Chile não exige essa vacinação.

Como prevenir é o melhor remédio, aproveite para atualizar outras vacinas (contra hepatite A e B, difteria, tétano, febre tifoide, sarampo, caxumba, rubéola).

Apesar de não terem me pedido o Certificado em nenhum momento, recomendo que não deixe de levar o seu e sempre se certifique sobre a situação epidemiológica do país de seu destino, já que é variável e as exigências podem ser modificadas.
 

Atualização em 2012: Atualmente no Peru não estão exigindo mais o Certificado de Vacinação Internacional. Mesmo assim se certifique antes de ir.


  • A água e os alimentos
Nos guias e nos diversos relatos que li em sites sempre tinha menção aos cuidados que se deveria ter com os alimentos, principalmente os de manipulação duvidosa. Não raro algum viajante tinha sofrido com infecções intestinais. Como os alimentos e a água contaminados são os principais veículos de germes infecciosos, todo cuidado é pouco quando se deslocar para países onde a higiene nem sempre é das melhores, especialmente com comidas e bebidas vendidas na rua.
  
Durante a viagem não tive problemas. Bebi apenas água mineral (com o lacre cuidadosamente examinado) e evitei alimentos vendidos na rua. Claro que posso estar perdendo uma parte interessante da cultura local. Mas é melhor prevenir do que ter problemas e estragar a viagem.


  • Mal de Altitude




Em grandes altitudes a concentração de oxigênio é baixa, o que pode levar a uma diminuição da oxigenação sanguínea e o surgimento de alguns sintomas como dor de cabeça, falta de ar, taquicardia, náuseas e vômitos, fadiga e insônia. Em alguns casos, raros, os sintomas podem ser mais graves e surgir edema pulmonar e/ou cerebral.

Praticamente é inevitável algum sintoma aparecer, principalmente acima de 2.900 metros de altitude. Porém, os corpos são diferentes e se aclimatam em tempos e formas diversas. No meu caso, enquanto estive em altitudes superiores a 2.700 m.s.n.m. senti, sempre, falta de ar aos esforços, mas que passava rapidamente com um breve descanso. Nenhum outro sintoma a mais surgiu.


Algumas medidas que são utilizadas para amenizar os sintomas:

  • Evitar o excesso de atividades nos primeiros dias. Fazer caminhadas leves e se sentir muito cansaço e ficar ofegante, pare e descanse, faça tudo devagar. Caso não melhore retorne  ao hotel.
  • Mudar de altitude aos poucos, fazendo o percurso por terra contribui para a aclimatação.
  • É prudente evitar o fumo, o álcool e comer em demasia.
  • Aumente sua hidratação para 3 a 4 litros de líquidos por dia.
  • Tome mate de coca, dizem por lá que combate os efeitos. Eu bebi várias vezes, o de muña também. Se foi o responsável para evitar o surgimento dos outros sintomas, eu não sei. Mas não evitou a falta de ar, apesar de não ter tido maiores consequências. Também é indicado mascar as folhas da coca. Fazia isso ao terminar de beber o chá. Há a opção de bombons e balas a base da coca, as quais recorri  algumas vezes. Mais sobre a coca (veja aqui).

Atenção: Alguns países proíbem o uso da folha de coca.





    No segundo dia em Cusco  comprei 



  • Utilizei um comprimido para aliviar os sintomas, que é de uso comum e vendem livremente nas farmácias, o soroche pill.
  • Caso tenha algum problema prévio pulmonar ou cardiovascular, consulte um médico antes de viajar para altas altitudes.

Atenção: Se surgirem alguns desses sintomas, procure assistência médica!

        - Tosse, com expectoração espumosa ou com sangue

        - Falta de ar mesmo em repouso

        - Perda de coordenação na fala ou motora

        - Alterações visuais

        - Excesso de fadiga, sonolência

        - Alucinações


Comentários