Peru: Introdução

***

  • Capital: Lima
  • Sistema de Governo: República Presidencialista
  • Idioma: Oficialmente é o espanhol. No entanto, nas regiões onde exite uma grande concentração de indígenas e mestiços também se fala quéchua. O aimará é utilizado por nativos na região de Puno.
  • Moeda: Nuevo Sol, sol (como é chamada; soles:plural)
  • Fuso horário: - 2 horas (em relação à Brasília
  • Documentos 
-Para brasileiros e cidadãos sul americanos é suficiente a identidade em bom estado(não vale outro documento de identificação). Pode ser utilizado o passaporte.
-Certificado Internacional de Vacinação (não solicitam mais, apesar de que é prudente se vacinar contra febre amarela antes da sair do Brasil).
-Não é necessário visto para cidadãos sul americanos. Os demais devem verificar o que é exigido nos consulados ou embaixadas do país de destino.
-Seguro de Saúde: não é exigido, mas considero fundamental para qualquer viagem fora do país.

De qualquer forma, quando for viajar se informe sobre os regulamentos ou requisitos de imigração, já que sempre está havendo mudanças.

  • Quando ir
Em primeiro lugar é importante ter o conhecimento do clima local, que no Peru se limita, praticamente, a duas estações principais: a seca, de abril a outubro(inverno) e a úmida, de novembro a março(verão), quando chove. Um dado que também se deve levar em conta é a geografia do país, que possui três regiões bem distintas no sentido leste a oeste: Floresta - Cordilheira dos Andes - Costa.

Assim, na região da Floresta o clima é quente e úmido, com chuvas abundantes. A melhor época para se ir é no período de inverno, seco e de pouca chuva (abril a outubro). O mesmo acontecendo na Cordilheira, que é a região onde se encontram as maiores atrações, no entanto, devido às grandes altitudes as temperaturas são baixas. A Costa é banhada pelo Pacífico e por conta da Corrente fria de Humboldt, as águas são geladas, principalmente no litoral sul, apesar de boa parte ser coberta por uma faixa seca e árida, onde pouco chove. No período de inverno pode ser bem frio.

Tempo no Peru


  • Meios de pagamento
Nas grandes cidades, geralmente, aceitam dolar e euro, que também são as moedas mais fáceis para câmbio. Cartões de crédito das principais bandeiras são aceitos, como também utilizei o Visa Travel Money e o cartão de débito do Banco do Brasil, sem problemas.

Em Iñapari(fronteira com Assis Brasil), você pode trocar reais por soles.


  • Como chegar ao Peru
Avião
Pode-se chegar ao Peru por Lima a partir de diversas capitais sul americanas e de outros países. 

Há voos diretos de São Paulo para o Peru. O pouso é no Aeroporto Internacional Jorge Chaves a 16 km (25 a 30') do centro da capital. A duração da viagem é de aproximadamente 5h.

Para deixar o aeroporto utilize os serviços de taxi credenciados, cujas tarifas são fixadas, já que não se usa taxímetro no Peru. A outra opção é utilizar o serviço de shuttle, onde ônibus confortáveis se dirigem aos principais hoteis da cidade.
Companhias aéreas: TAMTACALAN

Companhias locais: Peruvian Airlines, StarPeru
 veja mais aqui
  

ônibus
Há duas possibilidades de se chegar ao Peru por via terrestre, partindo-se do Brasil.

-Cruzando a Bolívia: é o acesso mais conhecido e muito utilizado pelos mochileiros, onde há uma combinação de ônibus e trem. Cansativo e necessita de muita disposição para a aventura.

Primeiro é necessário chegar a Corumbá, no Mato Grosso do Sul(fronteira com a Bolívia). Em seguida, atravessar a fronteira (a pé), após fazer o trâmite de saída do Brasil. Entrar na Bolívia, com o passaporte carimbado no serviço de imigração se não estiver com o RG, e não esquecer do comprovante de entrada, que será devolvido quando deixar o país. Finalizando com a passagem na alfândega. O Passo seguinte é se dirigir à estação de trem em Puerto Quijaro e embarcar com destino à Santa Cruz de La Sierra e dali utilizar ônibus para vários trechos (Santa Cruz->Cochabamba->LaPaz->Copacabana)  até atravessar a fronteira da Bolívia com o Peru (Copacabana-Puno). Optando por esse trajeto, aproveite para ir conhecendo também a Bolívia.

-Pela Rodovia do pacífico (inaugurada em 2011). Neste caso terá que chegar ao Acre, onde a cidade de Assis Brasil faz fronteira com Iñapari (2 km), no Peru. De Assis Brasil a Iñapari você pode ir de taxi (R$ 10,00 ) e de lá até Puerto Maldonado de van ($ 35 soles). Dali se pega um ônibus para Cusco (bus cama:80 soles)
Antes de cruzar a fronteira, deve passar na Polícia Federal para regularizar a saída do Brasil. Já no Peru, vá ao pequeno posto de imigração para oficializar a sua entrada no país. A estrada atravessa a Amazônia Peruana e sobe toda a Cordilheira dos Andes. De onde você pode chegar ao litoral do Pacífico ou se dirigir para Cusco. É uma boa opção para quem estiver de carro. A estrada cruza paisagens magníficas, apesar de ser muito perigosa (veja aqui).

Há ônibus partindo de Rio Branco (Acre) até Puerto Maldonado, onde deve ser trocado por outro que se dirigirá até Cusco.
Existe uma empresa peruana(Ormeño) que faz todo esse trajeto partindo de São Paulo e atravessando vários estados brasileiros (96h de viagem).

OBS: todos os valores aqui expressos foram referentes a outubro de 2011.

Se estiver em outros países fronteiriços

Chile: Pode-se entrar no Peru a partir de Arica em direção a Tacna (40'),utilizando-se ônibus(desde o terminal rodoviário)ou coletivos(taxi compartilhado em ponto ao lado do terminal rodoviário).O trajeto se dá pela Pan-americana, atravessando regiões desérticas do litoral (veja aqui como fiz esse trajeto).Em Tacna há várias companhias de ônibus para várias cidades(Cruz del SurCIAL, CIVA, TEPSAFlores)

Equador: Entra no Peru a partir  de Tumbes.
Ônibus saindo desde Guayaquil e Quito até Tumbes, Piura (norte do Peru)e Lima. Algumas companhias de ônibus: CIFA InternacionalOrmeño


Barco
Para quem for muito aventureiro e destemido há a opção de ir de barco pelos rios que cortam a floresta amazônica. São vários dias de viagem, iniciando o trajeto em Manaus. Dali para Tabatinga ou Benjamin Constant (fronteira com o Peru e a Colômbia). Pode seguir para Letícia (Colômbia) e de lá para Iquitos (Peru).

Veja mais aqui


  • Aspectos Históricos e geográficos
Sabe-se que a ocupação do território peruano se iniciou com a civilização Caral há mais de 5000 anos. Desde então vários povos se instalaram, dominaram e foram dominados até a chegada do colonizador espanhol.

De Império Inca, passando pelo Vice-reinado espanhol, a país independente e republicano, foi a linha histórica pela qual trilhou o Peru. Mas O país também não escapou de revoluções, corrupção e sucessivos golpes militares. Entre 1980 e 2000 entraram em ação os ataques guerrilheiros do grupo Sendeiro Luminoso e Tupac Amaru, deflagando uma verdadeira guerra interna, hoje, praticamente extintos. Atualmente o país goza de certa estabilidade política e econômica.


Terra do ouro, da prata e dos incas.De passado rico em história, de fascinantes e variadíssimas belezas naturais. Mas também vulnerável a uma natureza inclemente, cuja força é mostrada na forma de terremotos, furacões e tsunamis.

A exuberante Geografia e seu povo

A República do Peru é o terceiro maior país da América do Sul com 1.285 215 km² distribuído em três zonas geográficas bem distintas:


Costa do Pacífico


Faixa desértica e região mais habitada do país (52% da população).




A região andina

Composta por montanhas escarpadas e vulcões, além do altiplano(planalto de grande altitude, chega a ultrapassar 4.000 m). Onde vivem 37%, na maioria índios e mestiços(de branco com índios)


A região amazônica

Ocupando mais da metade do país e com 11% da população.

Estima-se que 45% da população sejam indígenas, 37% mestiça e 15% de ascendência européia (essa parcela que detêm a hegemonia econômica do país). 3% de outras origens.

O Peru está localizado na região mais rica e diversificada do mundo, os Andes tropicais, que abriga 84 dos 114 ecossistemas do planeta.

A corrente de Humboldt traz água fria e rica em nutrientes até a superfície do Oceano Pacífico, criando um riquissimo ecossistema marinho em sua costa, reduto de aves migratórias, entre elas os pinguins de Humboldt. Pelicanos, atobás e cormorões geram o guano, potente fertilizante.




Vicunhas, alpacas, lhamas e o condor fazem parte da variedade dos animais terrestres.   


    


A economia reflete a geografia do país; montanhas ricas em minérios e águas costeiras repletas de vida marinha fornecem os principais recursos: os minérios, que representam quase metade das exportações, e a indústria do pescado.

A geografia diversificada influencia nas diferenças climáticas


  • Na costa, ao norte, pouco chove e os dias são ensolarados o ano inteiro. Ao sul há duas estações bem definidas: inverno (abril a novembro) com dias nublados e  chuvoso e verão (dezembro a março) com dias quentes e ensolarados. 
  • serra no inverno tem variação climática muito ampla onde a manhã pode ser quente e a noite, gelada. No verão os dias são nublados e as chuvas frequentes. 
  • selva apresenta um clima úmido, com temperatura geralmente elevada e chuvas em boa parte do ano (novembro a abril), causando elevação do nível dos rios.

Comentários