Dicas - Cusco



Cusco é muito mais do que uma simples parada para se chegar à Machu Picchu. A cidade e o seu entorno possui muitas atrações que valem a pena prolongar um pouco mais a sua estadia para desfrutá-la. Bem conservada, com uma boa infraestrutura para o turismo, oferece muitas opções de passeios histórico e culturais, além de museus e igrejas com obras de inquestionável valor artístico.






1) As principais atrações de Cusco
  • O Centro Histórico pode ser percorrido à pé em um roteiro básico, onde se encontram igrejas como La Companhia de Jesus, a Catedral e La Merced, que estão muito próximas umas das outras, as duas primeiras na Plaza de Armas, esta, um aprazível ponto para curtir  um bom descanso e  a atmosfera do lugar.
Plaza de Armas


Catedral

La Compañia

La Merced

  • Para visitar algumas igrejas e conventos é possível adquirir um tipo de boleto que permite descontos. O Circuito Religioso compreende, entre outros, a Basílica Catedral/Triunfo/Sagrada Família, Templo de San Blas e Museu de Arte Religioso. Também pode ser comprado o ingresso, individualmente, no local de cada atração.
  • Apesar de não ser indispensável, uma visita com um guia provavelmente deixará o seu passeio mais interessante, principalmente se for exclusivo e você não detenha um conhecimento prévio do contexto histórico.
  • Há também bons museus que se dedicam a contar um pouco desse passado. Portanto, é interessante reservar pelo menos uns três dias para esse cidade e não esquecer de adquirir o Boleto Turístico, indispensável para quem quer visitar muitas das atrações locais e dos arredores, além do Vale Sagrado.
  • Há muito para desfrutar, dos sítios arqueológicos e ruínas em pedras que marcam tanto a história e presença inca, como os feitos dos invasores espanhóis em sua marcante arquitetura e arte cusquenha.

  • Caminhar pelas ruelas charmosas e conservadas é uma boa oportunidade para encontrar os descendentes dos "Filhos do Sol" vestidos com suas roupas típicas. Mas não se engane, ao apontar sua máquina para aquele registro fotográfico, logo verá uma mão estendida solicitando uma "propina". Frequente também é o encontro com os vendedores ambulantes de artesanato, que muitas vezes incomodam pela insistência.

  • Há diversas agências de turismo em Cusco que oferecem, geralmente, os mesmos passeios para as atrações dos arredores. Não que não possam ser feitos por conta própria, mas a vantagem delas, se não se importar com um passeio coletivo, é que o transporte e o guia estarão incluídos, o que pode fazer uma grande diferença, desde que seja uma agência idônea com guias qualificados e que te ofereçam um passeio com o tempo suficiente para se visitar cada lugar. Caso não se queira optar pelo "City Tour", é possível chegar até as ruínas próximas utilizando vans ou ônibus de linha (pouco práticos, apesar de mais econômicos) ou contratando os serviços de um taxista.
  • A cidade de Cusco, além das suas próprias atrações, ainda serve de base para quem se dirige à Machu Picchu.


2) Como chegar

Via aérea
Geralmente quem vai para Cusco, chega por via aérea a partir de Lima, já que ainda não existem voos diretos do Brasil. Em uma hora se chega ao Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete (ou Aeroporto de Cusco). Para sair dele uma boa opção é utilizar um taxi, se não tiver um transfer contratado. Lembrar que no Peru não existe taxímetro e o valor deve ser acordado com o taxista antes de entrar no veículo.
As principais empresas aéreas do país são:  LAN, Taca, Star Peru.

Via terrestre
A opção preferida dos mais aventureiros é chegar em Cusco a partir de Puno, após atravessar a fronteira com a Bolívia, pela cidade de Copacabana. Porém, desde 2011, se pode chegar ao Peru  pela fronteira brasileira,a partir da cidade acriana de Assis Brasil.

Há ônibus da empresa peruana Ormeño que sai de São Paulo, gastando cerca de 96 horas. Se estiver no Acre, a opção é embarcar de Rio Branco até Puerto Maldonado e de lá para Cusco pela empresa Movil Turs, numa viagem que dura cerca de 24 horas, atravessando a Cordilheira dos Andes pela Rodovia do Pacífico.

OBS: Pode haver mudanças em percursos dessas empresas, portanto antes de se programar se certifique quais itinerários estão sendo feitos por elas.

Lima- Arequipa- Cusco (1650 km): 26 horas
Lima-Nazca-Puquio-Abanzy-Cusco (1131 km): 20 horas
Puno- Cusco (389 km): 7 horas


Via Férrea
Serviço Puno-Cusco: 384 km (10 horas),operado pela Peru Rail.


3) Quando ir
Apesar da máxima de não haver tempo ruim quando se está disposto para viajar, em Cusco é prudente se levar em conta as estações do ano, que lá são duas bem distintas: a seca (de maio a setembro)é o período de inverno com baixas temperaturas, mas o céu sempre claro e sem nuvens, e O verão com temperaturas um pouco mais altas, porém é o período chuvoso (a partir de outubro até março) e por isso alguns sítios históricos podem ficar fechados.



4) Cuidados
Cusco está a aproximadamente 3.400 m.s.n.m., portanto do Mal das Montanhas ou Soroche, como por lá é chamado, quase ninguém escapa se não estiver adaptado a grandes altitudes. E para se proteger dos efeitos ou tentar minimizar um pouco os sintomas faça o que recomendam os nativos: masque a folha e tome Chá de coca! Claro, não descuide dos outros cuidados que são muito importantes para se ter uma estadia agradável (veja aqui).



  

O mate de coca é feito com as folhas dessa planta, porém não provoca efeitos colaterais nem dependência ou alucinação. A infusão é usada para combater os efeitos do “Mal das Montanhas” ou Soroche, como é chamado por lá. Enfim, nada tem a ver com o “pó branco”.

A“Hoja Sagrada” é utilizada há séculos pela população nativa do altiplano. Para os povos andinos a folha de coca tinha importância religiosa e até mesmo era venerada como filha da mãe-terra (Pachamama). A "Mama-Coca"seria uma oferenda dos deuses ao povo e estes praticavam rituais e sacrifícios em louvor à planta, garantindo uma boa colheita. Ainda hoje é um elemento importante para os indígenas, já que aumenta a resistência ao cansaço e à fadiga, ajudando a população no trabalho diário e exaustivo. Além da folha in natura, pode-se encontrar em sachês. Existem outros produtos que utilizam a folha de coca, como balas, tortas e biscoitos. É tudo absolutamente legal.


5) O que é o Boleto Turístico?
É um tipo de passe que te permite entrar em várias atrações, durante um determinado período,em Cusco, arredores e no Vale Sagrado.

  • É necessário comprá-lo?
Sim é, caso você queira conhecer todos ou alguns dos atrativos desses locais, já que a maioria não disponibiliza suas entradas individualmente e dificilmente você conseguirá entrar nas atrações que o integram, pois, geralmente, não há bilheteria no local. Daí ser indispensável a sua compra antes de iniciar seu passeio por esses lugares.

O boleto deve estar nominal antes de ingressar em qualquer atração e tem validade por 10 dias, a partir do dia em que é comprado. Não é permitido repetir uma mesma atração, para isso ao passar na entrada a foto correspondente ao atrativo será marcada com um pequeno furo.

Estão disponíveis 4 opções: 3 Circuitos, cada um com diferentes atrações e sítios arqueológicos e o General, que inclui os três.

Para ingresso nos sítios arqueológicos nos arredores de Cusco.
  • Saqsayhuamán
  • Q'enko
  • Puka Pukara
  • Tambomachay


Para ingresso em alguns museus de Cusco. Não são os mais interessantes, mas permite conhecer um pouco mais da arte e história peruana.

•Museu de Arte Contemporânea
•Museu Histórico Regional
•Museu de Arte Popular
•Museu do Sítio de Qoricancha
•Centro Qosqo de Arte Nativa
•Monumento ao Inka Pachacuteq
•Pikillaqta
•Tipón


Circuito 3


Para ingresso nas atrações do Vale Sagrado.



  • Ollantaytambo
  • Moray
  • Pisac
  • Chinchero
  • ***Cosituc

    Se tiver tempo disponível e interesse em conhecer as principais atrações de Cusco, arredores e Vale Sagrado, o General é o mais indicado dos ingressos,além de sair mais barato do que comprar dois circuitos separadamente.

    Em 2011 a tarifa era a seguinte:


    Para adquirir o Boleto o melhor é ir ao escritório da COSITUC (Av. El Sol, 103)-Cusco. O meu já estava incluído no pacote que montei com a Interhabit, ainda no Brasil, durante o planejamento.

    E esse foi o meu Boleto, que me foi integre pela funcionária da agência de turismo de Cusco, contratada pela Interhabit.



    6) O que é  Boleto Religioso?
    É um bilhete que permite a entrada na Catedral de Cusco, Templo de San Blas, La Compañia e Palácio Arcebispo (Museu de Arte Religioso). Para quem tem interesse em conhecer um pouco do sincretismo que uniu a religião  católica  à  cosmovisão  andina expressa na Arte Cusquenha pode ser vantajoso,se for visitar todas as atrações que são contempladas, pois garante descontos. Porém é possível adquirir o ingresso individual na entrada de cada atração.



    7) Como foi o City Tour de Cusco
    É disponibilizado por praticamente todas as agências de turismo. Pode ser feito pela manhã ou à tarde, por cerca de 4 a 5 horas. Inclui a Catedral Metropolitana, Qorikancha e as ruínas ao redor de Cusco.

    O passeio começa com a visita à Catedral e de lá se segue em uma curta caminhada até o Qorikancha. Passamos por antigas ruas adornadas por muros com pedras de encaixe perfeito.  Os ingressos para ambos não estão incluídos no Boleto Turístico (que será necessário para entrar nas outras atrações) e devem ser pagos a parte. No meu caso, achei a visita à Catedral muito rápida. Com certeza eu aproveitaria melhor se tivesse ido por conta própria e contratado um guia por lá, como fiz na visita à La Compañia. 

    Do Qorikancha o grupo, de ônibus, segue para a visita às ruínas localizadas aos redores de Cusco. SacsayhuamanQ’enqoTambomachay e Pukapukara. No final, uma parada em uma loja que vende artigos feitos com lã de alpaca, além de artesanatos. Como sempre, é a parada típica dos guias para lucrar uma comissão.

    Impressões
    • O pacote que fiz com Interhabit, no Brasil, desde o momento do planejamento da viagem já incluia o City-Tour, o Boleto Turístico e os bilhetes para a catedral e o Qoricancha.
    • Na minha opinião é válido adquiri-lo caso esteja em viagem solo e com orçamento curto. Porém terá que se conformar em dividir um guia com muitas outras pessoas, o que muitas vezes não será produtivo. No meu caso não foi.
    • É indispensável fazê-lo? Não, mas se tiver tempo disponível será um agradável passeio.
    • De que forma eu faria esse passeio? Iria à Catedral e Qoricancha por conta própria e contrataria um guia no local. Como a distância até as ruínas é no máximo de 8 km, contrataria um taxi, desde que fosse de confiança, para ter a liberdade de demorar o tempo que quisesse em cada lugar. Não esquecendo de que é necessário comprar o Boleto Turístico antes e os demais ingressos.

    Comentários