Cusco


Localizada num vale a 3.360 m de altitude e rodeada por montanhas, Cusco foi o centro religioso, político-administrativo do Império Inca e capital econômica e militar dos invasores espanhóis. Hoje é considerada a capital arqueológica da América do Sul e é Patrimônio Cultural da Humanidade desde 1983.  







Conta-se que na época dos incas a cidade teria a forma de um puma, o animal sagrado para esse povo. A cabeça estaria localizada na fortaleza de Sacsayhuaman e o coração, região central, estaria na Praça de Armas, de onde partiam os quatro caminhos que se dirigiam aos quatro “suios”, isto é, às quatro regiões do Império ou Tahuantisuio. Como os caminhos convergiam em Cusco, a cidade foi chamada de “O Umbigo do Mundo”.



Mas não foram os incas os primeiro a habitar a região. Há vestígios que indicam a presença humana há cerca de três mil anos, o que a coloca como cidade mais antiga da América, segundo os estudiosos.


Quando os espanhóis chegaram no século 16 a capital dos incas era repleta de templos e palácios. O ouro e a prata eram abundantes. Muito foi destruído e saqueado. No entanto, nem tudo conseguiram destruir, pois os edifícios tinham uma construção sólida demais para serem derrubados. Construíram por cima do que puderam por abaixo. Mas, em muitas construções, aproveitaram paredes e alicerces formados pelos blocos de pedras justapostos sem argamassa, típicos da arquitetura inca.

É o que encontramos em igrejas, palacetes e residências distribuídos pelo Centro Colonial, que abrange a Plaza de Armas e cerca de 5 quadras a sua volta.

Passeando pelas ruelas da cidade você se depara com a força da cultura inca no vestuário colorido e tão fotografado em troca de "propina", na língua correntemente falada entre os nativos, o quéchua, e na culinária um tanto exótica, como o cuy assado.

Tudo isso atrai gente de todos os lugares do mundo, dos mais exigentes aos mais aventureiros, afinal Cusco serve também de base para quem se dirige à Machu Picchu. Portanto, a cidade dispõe de uma boa infraestrutura, com hoteis dos mais simples aos mais sofisticados, restaurantes e serviços para um adequado atendimento aos viajantes.

Para desfrutar de todo esse patrimônio artístico e cultural numa visita a Cusco não pode faltar:


  •  A PLAZA DE ARMAS
Conhecida no tempo dos incas com Haucaypata, na época era local de celebrações e no período colonial foi testemunha de execuções. Hoje é uma bela praça centro do movimento da cidade, onde se encontram agências de turismo, restaurantes, lanchonetes, caixas automáticos, turistas para lá e para cá e os vendedores de artesanato.

A praça está cercada de prédios históricos, construções com belos balcões, assim como igrejas barrocas erigidas sobre as antigas residências dos incas. 

Para quem gosta de agito, à noite a cidade permanece animada.





          
  • IGREJAS , CONVENTOS E MUSEUS
Cidade milenária, guarda em suas igrejas, conventos e museus um grande patrimônio artístico e cultural resultante da mescla de culturas que se deu no novo continente.

A Catedral

Complexo religioso que abriga também duas outras igrejas: La Sagrada Família e El Triunfo. Magnífica representação do barroco! A riqueza se mostra nas pinturas e objetos de arte, na ornamentação em prata e ouro.
























Erigida sobre o palácio do inca Viracocha, utilizando lajes de granito retiradas de Sacsayhuamán, teve seu início em 1539. No entanto passou por remodelações e ampliações resultando no que se vê hoje, uma combinação de estilo barroco no seu interior e exterior com característica renascentistas.
Guarda em seu interior 11 capelas, diversificadas nas suas ornamentações, um lindo coro ricamente talhado em madeira de cedro extraído das redondezas. Impressiona a quantidade de quadros (mais de 300) de origem espanhola, como também da Escola Cusquenha, distribuídas em suas altas paredes, onde se destaca a "Última Ceia", cujo prato principal é representado por um cuy, o famoso porquinho da índia, prato típico da região. 
***
O altar principal é todo em prata. O Altar do Perdão, localizado em frente a porta principal e ricamente trabalhado, é a primeira visão que se tem da nave ao entrar pela frente.

A Sagrada Família tem na sua fachada a imagem de Jesus, Maria e José. Seu altar é feito em cedro recoberto por lâminas de ouro, magnífico! Por uma passagem lateral entramos na Catedral propriamente dita, cuja construção levou mais de cem anos, finalizada em 1669. Por outra passagem lateral, entramos na terceira igreja que faz parte do complexo, El Triunfo, primeira igreja de Cusco, cujo nome lembra o "triunfo" espanhol sobre os incas.

Serviço

Onde: Plaza de Armas
Quando: 2ª à dom./ 10:00 às 18:00 horas
Quanto: S/ 25 ou incluído no Boleto do Circuito Religioso




La Compañia
A Companhia de Jesus, universal congregação fundada por Inácio de Loyola, desenvolveu uma intensa atividade pastoral em Cusco e tem na Plaza de Armas, ao lado da Catedral, uma magnífica expressão de sua ordem.

É um dos melhores exemplos da arquitetura colonial do Peru, com uma bela fachada de pedra talhada e uma elegante cúpula em estilo barroco. Subindo até uma de suas torres se pode apreciar a Plaza de Armas e as montanhas de Cusco.
Seu interior é suntuoso, com diversas pinturas da Escola de Cusco e um brilhante altar de cedro revestido de lâminas de ouro.
Iniciada em fins do século 16, destruída por um terremoto, foi reconstruída em 1668 sobre o que fora o palácio inca Amarucancha, cujas ruínas podem ser vistas por um buraco no piso na parte de trás da igreja.
Ruínas incas sob o piso

Serviço

Onde: Praça de Armas
Quanto: S/10 (2011) Guia local S/30(valor espontâneo)*

Quando: Sem horário fixo
*Há guias disponíveis para quem quiser contratar. O valor do serviço não é tabelado, fica a cargo do visitante.



La Merced
O Convento e a Igreja compõem um conjunto  de grande beleza arquitetônica, onde se misturam elementos dos estilos renascentista e barroco. Fundada em 1536 e reconstruída 25 anos após o terremoto de 1560. É considerada a terceira igreja mais importante de Cusco. 
Possui dois pisos que circundam um pátio quadrangular, circundado por Colunas de pedra andesita e arcadas em todos os lados. 
As paredes de ambos os pisos adornadas por uma rica coleção de quadros da Escola Cusquenha
O teto de cedro primorosamente trabalhado com figuras quadrangulares simetricamente encaixadas.

O monastério abriga em suas dependências peças de ouro e prata e imagens de santos. Mas a sua maior preciosidade  é a Custodia de La Merced, um ostensório em ouro (22 kg) de 1720 com 1,20 metros de altura, coberto com 600 pedras preciosas( pérolas, rubis, topázios e esmeraldas) e 1.500 diamantes. A peça é usada para expor a hóstia consagrada em situações solenes. Tanta preciosidade obviamente não se pode fotografar, além de haver um vigilante permanente no local.Portanto, restam-nos a imagem de seus corredores.
Serviço
Onde: Calle Mantas121
Quando: 2ª a sab. Das 8:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00h.
Quanto: S/6,0
OBS: Toas as informações de preço e horários estavam em vigor em outubro de 2011.




Qoricancha
Foi o maior templo inca, construído em 1534, porém destruído pelos espanhóis que sobre suas fundações erigiram a Igreja e o Convento de Santo Domingo, em estilo barroco tardio.
Os incas eram politeístas, porém tinham preferência pelo Sol ou Inti (em quéchua).Daí terem erguido o templo em sua homenagem, apesar de lá também serem cultuados outros deuses. Foi nesse templo, segundo se conta, que os espanhóis encontraram paredes cobertas por lâminas de ouro e estátuas de tamanho natural em ouro e prata.
Como em diversas construções de Cusco, aqui também se pode observar o trabalho em pedra das antigas construções incas servindo de base para o templo espanhol. Da arte espanhola, ficaram os belos arcos do claustro e a série de pinturas de século 17 e 18.

Serviço
Onde:Plaza Intipanga. Av. Sol/Av. Arrayan
Quando: 2ª a sab das 8:30 às 18:30. Dom das 13 às 17 horas.
Quanto:S/10.O bilhete não faz parte do Circuito Religioso nem do Boleto Turístico


  • MUSEUS
Museu Inka

 No prédio colonial do século 17 construído sobre fundações incas, através de desenhos, objetos em cerâmica, tecidos, joias e maquetes, é contada a história da civilização inca, da sua origem ao seu declínio, em todos os seus aspectos desde a arquitetura e religião até técnicas de mumificação. Um dos destaques é a coleção de "keros" taças incas principalmente em madeira, muitas delas com belas pinturas. Mas, o que me chamou a atenção foi a representação de uma espécie de cemitério, onde estavam expostas algumas múmias, cuja preservação era facilitada pelo clima seco dos Andes. Há em uma de suas últimas salas, uma coleção de quadros do século 17, com imagens que representam os imperadores incas.

Serviço

Onde: Cuesta del Almirante 103
Quanto:S/10
Quando: 2ª a 6ª(8 às 18h); sab (9 às 16h)



Museu de Arte Pré-colombiana


Museu de Arte Pré-colombiana está localizado em um palacete colonial erguido sobre fundações incas, e abriga a arte deixada pelos povos que ocuparam a região desde 1250 a.C. a 1532 da nossa era. São peças e objetos não só da cultura inca, como também das civilizações Nazca, Huari, Moche, Chancay e Chimu. 

Onde:Plaza Nazarenas, 231
Quanto:S/10
Quando:diariamente das 9 às 22h.



Museu de Arte Religiosa
O Museu de Arte Religioso, localizado no Palacio Arzobispal que foi construído sobre o palácio do Inca Roca, é onde se encontra um grandioso acervo da arte cusquenha. No lado externo, a Calle Hatun Rumiyoc, rua com muros incas onde está a famosa pedra dos 12 ângulos.


Serviço



Onde:Esquina Hatunrumiyoq/Herrajes
Quanto:S/15,00. Faz parte do Boleto do Circuito Religioso.
Quando: 2ª a sab. (8 às 11:30 e 15 às 18h)Dom. (14 às 18h)










  • RUÍNAS INCAS
Sacsayhuaman
uma enorme estrutura de pedras dispostas em três muralhas paralelas e em ziguezague no alto de uma elevação, ainda hoje é objeto de discussões sobre a sua finalidade. Afinal teria sido local de adoração ao deus Illapa? local para realização de rituais em honra a água?ou uma fortaleza?



O certo é que impressiona o ajuste perfeito e a ausência de qualquer tipo de argamassa para unir os enormes blocos de granito que chegam a pesar 300 toneladas. Como teriam feito para transportar todo esse peso até aquele local?





Onde: 2 km de Cusco
Quando: 2ª à dom. De 7:00 às 18:00 horas
Quanto: Faz parte do Boleto Turístico



Qenko
Pode ter sido um local de celebrações de ritos dedicados à fertilidade, devido a existência de poços de água subterrâneos. No pátio central há um enorme monolito que teria o formato de um puma sentado, cercado de um recinto circular de pedra. 



                   
Onde: 3 km de Cusco
Quando: 2ª à dom. De 7:00 às 18:00 horas
Quanto: Faz parte do Boleto Turístico
    
                               
Numa colina se localizam as ruínas de PucaPucara, que visualizamos de longe, pois estávamos indo em direção à última ruína inca, Tombomachay. Uma estrutura de três níveis de muros, terraços, escadas e aquedutos. Acredita-se que pode ter servido de albergue coletivo ou tambo, para a comitiva inca.

 
      
    

Tombomachay
Lugar de descanso (em quíchua). Tem acesso por um caminho em aclive que nos obriga a fazer paradas para recuperar o fôlego. Constitui em um sistema de aquedutos escavados na pedra, que ainda hoje jorra água oriunda de uma fonte subterrânea.


Teria sido um lugar dedicado ao culto da água e da fertilidade. Os aquedutos, canais e receptáculos demonstram a habilidade dos incas na engenharia hidráulica.


Quando: 2ª à dom. De 7:00 às 18:00 horas
Quanto: Faz parte do Boleto Turístico
Onde: 7,5 km de Cusco


Veja também:

Comentários