Questão Polêmica: As Hidrétricas


Com o aumento cada vez maior da demanda energética e a vertiginosa degradação ambiental pela emissão de gases poluentes, torna-se imperativa a busca por fontes alternativas de energia limpa em todo o mundo.

O imenso potencial hídrico da Bacia Amazônica vem despertando o interesse para que se lance mão desse recurso na produção de energia. Para os que defendem essa corrente de opinião, o
Brasil além de produzir uma energia menos poluente, atrairia mais investidores necessários ao seu desenvolvimento, como também, estaria resolvendo uma possível insuficiência de fornecimento de energia elétrica no futuro.

O fato é que, no Norte, os terrenos têm pouco desnível e para formarem as barragens das usinas se faz necessário alagar imensas áreas de mata. A situação ainda se torna mais complicada quando se dão conta de que os melhores lugares para a construção das hidrelétricas ficam distantes dos centro consumidores.
Dessa forma entram em confronto 2 correntes e os que contestam a construção dessas usinas alertam para o impacto que causariam sobre o meio ambiente e a biodiversidade, em virtude de alagamentos, devastação da floresta, depósito de sedimentos e alteração de curso do rio, que pode interferir na migração doa peixes.

Atualmente, na bacia do rio Madeira estão sendo construídas 2 hidrelétricas (Programa de Aceleração do Crescimento): Santo Antônio e Jirau.


Antigamente, ao serem construídas represas, não se faziam estudos e análises do impacto ambiental antes da concessão de licença e operação. Apesar da obrigatoriedade dessas medidas nos dias de hoje, o que representa uma nova era na infra estrutura brasileira, só o tempo nos dirá se existirá desenvolvimento e sustentabilidade com a exploração do potencial hidrelétrico nos rios da Amazônia. 


Que a renda por ventura gerada seja aplicada em benefício daqueles que sofrerão os maiores impactos e que não tenhamos novamente a repetição de "ciclos econômicos" onde muito se gera e pouco se fica para o benefício da população.



Vi em algum lugar:

O valor do seguro que cobre os riscos de engenharia para a usina de Santo Antônio é de 9,5 bilhões de reais. É a maior apólice de seguro do planeta! E ha mais um seguro adicional de 2 bilhões que garante aos financiadores que a obra será construída dentro do prazo.

É o projeto mais caro do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Atualizando(2014)

Apesar de fenômenos climáticos adversos tenham sido os responsáveis pelo grande volume de chuvas, é fato que as usinas hidrelétricas contribuíram para agravar a maior enchente do rio Madeira, que deixou o Acre, Porto Velho e algumas cidades ribeirinhas do Amazonas alagadas por mais de 2 meses.

Comentários